Zeca Afonso

 

José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos, Cançonetista nascido em Aveiro no ano de 1929, falecido em Setúbal em 1987. Licenciou-se em Ciências Histórico-Filosóficas na Universidade de Coimbra, o que lhe permitiu leccionar no Ensino Secundário. Gravou, em 1959 a "Balada De Outono", trabalho que constituiu um passo importante na renovação da música popular portuguesa, que havia de liderar durante vários anos. Veio a ser distinguido com o Prémio de Melhor Compositor e Intérprete de Música Ligeira Portuguesa, pela Casa da Imprensa em 1969, 1970 e 1971. O disco "Cantigas de Maio" é considerado o melhor da música popular portuguesa da segunda metade do Séc. XX. Opositor ao regime vigente na altura, a sua canção "Grândola, Vila Morena" foi utilizada como senha do 25 de Abril, tendo-se tornado como que um hino para o MFA ( Movimento das Forças Armadas).

José Afonso grava, em 1953, com os seus companheiros em Coimbra, os primeiros dois discos de Fados de Coimbra. No Liceu D. João III, conhece António Portugal e Luís Góis e inicia um percurso musical comum que será definitivamente interrompido em 1962, quando troca o acompanhamento guitarra pela viola primeiro José Niza e Durval Moreirinhas e depois Rui Pato que o acompanha em sete discos (1962-69). 

Em 1960 inicia a fase das baladas com «Balada de Outono». 

Dificuldades económicas levam-no, terminado o serviço militar, em 1955, a abandonar Coimbra e a dedicar-se ao ensino. Depois de três anos em Faro, viaja para Moçambique de onde regressa em 1967. O contacto com outras realidades possibilitou-lhe experiências diferentes do meio estudantil. «Menino do Bairro Negro» terá sido composto no Porto e marca possivelmente o início do seu percurso de cantor de intervenção. Cantou diversos poetas portugueses, mas na sua condição de «cantautor» interpretou sobretudo poemas seus e também temas populares do folclore das Beiras, Açores, Trás-os-Montes e Algarve. As canções de José Afonso e de Adriano Correia de Oliveira bem como as de LuÍs CÍlia editadas no exÍlio tornaram-se hinos e bandeiras da parte mais consciente e generosa de uma geração, tendo sido com inteira justiça que cadência dos passos de «Grândola, Vila Morena» a coluna do capitão Salgueiro Maia marchou sobre Lisboa na redentora madrugada do 25 de Abril de 1974.


Página Principal | Atividades | Links

Copyright © 1999-2017 J. Cura, Secção Filatélica da AAC - Portugal
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

[Voltar]
Última atualização: 23/09/2012