Toponímia

 

Rua do Correio (atual Rua Joaquim António de Aguiar) - Coimbra
JOAQUIM ANTÓNIO DE AGUIAR, Rua de – 3000-230 e 3000-231.
Freguesia de Almedina.
Da Rua da Estrela ao Largo da Sé Velha.
Emprazamento de 1508 designa-a por rua direita que vai da dita Sé para S. Cristóvão. Antes de 1875 denominava-se Rua de S. Cristóvão (ou S. Christovam) e pertencia à Freguesia de S. Cristóvão, suprimida pelo decreto régio de 25 de Novembro de 1854. Foi também designada por Rua do Correio. Vida activa: Nesta rua está uma placa comemorativa a Joaquim António de Aguiar e outra a António Augusto Gonçalves. Aqui viveu o famoso guitarrista Anthero da Veiga.

Rua do Correio - Ceira
CORREIO, Rua do – 3030-998.
Pertence ao Lugar e Freguesia de Ceira.
Da Estrada da Beira à Estrada das Lagoas.

Rua dos Correios – Souselas

COPEIRA.
Lugar da Freguesia de Santa Clara.
Toponímia do Lugar: Chafariz das Lágrimas, Chafariz de S. José, Copeira de Cima, Copeira de Baixo, Copeira de Cima, Quinta da Copeira, Quinta do Correio Mor, Quinta de Mal Dorme, Quinta de S. José, Quinta de Santo António.

CEGO, Rua do.
Freguesia de S. Bartolomeu.
Em Abril de 1922 a Câmara pede ao Director dos Correios para mudar o marco para o centro da Rua, a fim de impedir por ela o trânsito de carros ou automóveis.

 


Colecção de postais: A República na Toponímia de Coimbra. Edição: CMC, 2010

 

Casa do Correio Velho

FANGAS DA FARINHA – D. João III concede feira franca para os estudantes no lugar que viria a chamar-se, por força desse evento, Largo da Feira dos Estudantes. A afluência a esta feira era muito grande. Não seria de estranhar que também nela se vendessem muitas farinhas. Esta actividade deu origem à criação de “um cargo especial para a segurança e boa ordem das transacções, ao qual competia ordenado fixo e certos privilégios em troca da cedência gratuita de todas as medidas necessárias” (António Correia, “Da Alta – Toponímia Coimbrã, (II) – Zona do Arco de Almedina (1945) in O Despertar de 1973.). O reitor da Universidade propôs a construção de uma casa das fangas. Não se sabe se este edifício chegou a ser construído. Se o tivesse sido, teriam havido duas casas de fangas, uma privativa da Universidade e outra da Câmara, localizada “na Rua das Fangas da dita cidade dentro da Almedina, que partem pela dita rua e partem por detrás delas com o recolhimento das casas de Semide, que traz Guiomar de Sá e partem da banda de cima contra a porta de Belcouce com o forno de poia que foram fangas, que é do dito senhor, que são emprazadas a Guiomar de Sá, as quais casas do dito Heitor de Sá são sobradas, muito velhas e danificadas”. António Correia situa estas Fangas no edifício que veio a ser conhecido por casa do correio velho (Idem. A citação é de um documento da Torre do Tombo de finais do século XV, que se refere ao aforamento de umas casas, feito ao avô de Heitor Pinto).

https://sites.google.com/site/memoriadecoimbra/dicionario/f/de

 


Página Principal | Atividades | Coimbra | Links

Copyright © 1999-2017 J. Cura, Secção Filatélica da AAC - Portugal
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

[Voltar]
Última atualização: 24/11/2012