Severo Portela Junior

 

Natural de Coimbra (10 de Setembro de 1898), Severo Portela Júnior, ainda jovem, mudou-se para a capital do país, estudando escultura na Escola de Belas-Artes de Lisboa, tendo, como aluno, apresentado alguns trabalhos não muito significativos, o que levou-o a desinteressar-se momentaneamente dos estudos.

Seu reencontro com a arte, se deu, não mais com a escultura, mas sim com a pintura, seduzido pela obra de Columbano Bordalo Pinheiro (1857-1929), conforme conta Fernando de Pamplona:

«Um grande e fervoroso entusiasmo pela arte de Columbano, feita de sutilezas, de meias-tintas, de estranhas e sombrias fulgurações, enchia-lhe a alma de sonhos. Seria pintor!.»

O homem põe e Deus dispõe. Circunstâncias especiais, alheias à sua vontade, fizeram-no sair de Lisboa para ir morar no Alentejo, onde, por dez anos, ficou totalmente afastado da pintura e sem qualquer contato com as artes.

Somente em 1930 Portela Júnior voltaria a Lisboa, iniciando suas primeiras experiências com pintura e, de início, expôs seu quadro Músicos de aldeia, que lhe valeu o Prêmio Rocha Cabral.

Foi o ponto de partida para uma carreira bem sucedida de pintor, em que se sucederam, em suas telas, todas as figuras e paisagens gravadas na memória durante os longos anos de vida no Alentejo.

Portela Júnior foi um pintor versátil. Pintou paisagens, usos e costumes, pintura histórica, pintura religiosa, interiores, naturezas-mortas e tudo mais que lhe aparecesse como tema para expor sua arte.

Foi também um excelente decorador, deixando murais com belíssimos afrescos, entre eles, um na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, sua terra natal, e outro na Câmara Municipal de Beja.

fonte: http://www.pitoresco.com/portugal/portugal/44_portela/portela.htm

 

Obras em Coimbra:

Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra mural com figuração dos mais notáveis vultos da cultura portuguesa
No vestíbulo de honra encontram-se duas pinturas a fresco: à esquerda, a alegoria da Antiguidade Clássica, obra do pintor Joaquim Rebocho e, à direita, a alegoria da Glorificação do Génio Português, obra do pintor Severo Portela, medindo 40 metros quadrados cada uma. Muito recentemente ambas foram restauradas e protegidas.

Faculdade de Medicina de Coimbra fresco sobre a história da Medicina

 


Página Principal | Atividades | Links

Copyright © 1999-2017 J. Cura, Secção Filatélica da AAC - Portugal
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

[Voltar]
Última atualização: 01/11/2014