Rio Mondego

O rio Mondego, a paisagem que da colina se avista inspiraram muitos poetas.

Camões dedicou-lhe a canção Vão as serenas águas / do Mondego descendo e o soneto Doces águas e claras do Mondego, / doce repouso de minha lembrança .

Aliás, este último soneto também tem sido atribuído a Diogo Bernardes, que ao Mondego dedicou outro soneto: Já do Mondego as águas aparecem / A meus olhos, não meus, antes alheios.

Francisco Rodrigues Lobo escreveu um Adeus a Coimbra:

Adeus prado, adeus pastores,
Vassalos deste amor cego,
Adeus águas do mondego,
Adeus Fonte dos Amores


A Lampreia-do-rio ( Lampetra fluviatilis ) é um peixe com corpo serpentiforme de tamanho médio, com sete orificios branquiais e boca em forma de ventosa. A lampreia-de-rio vive em rios com águas limpas e oxigenadas e fundos de areia ou gravilha. A alimentação da lampreia-de-rio basea-se no sangue e tecidos de outros peixes. Durante o Inverno não se alimentam. A lampreia é tida por iguaria requintada, sendo vendida nos restaurantes a preços muito elevados. Em Portugal, a lampreia é comida sobretudo em arroz de lampreia, com uma confecção próxima da cabidela, e à bordalesa, um guisado normalmente acompanhado de arroz. Alguns restaurantes e casas fazem-na também assada no espeto , e outros ainda fazem-na de escabeche . Em Portugal, a lampreia é comida de finais de Janeiro a meados de Abril .

O sável ( Alosa alosa ) é uma espécie de peixe migratório da família Clupeidae . Outrora comum desde a Escandinávia até ao Mediterrâneo ocidental, actualmente é raro na Europa do Norte e ilhas Britânicas. É considerado extinto em muitos rios europeus. As populações deste peixe nos rios portugueses têm diminuído drasticamente sobretudo no sul (nos rios Tejo , Sado e Guadiana ). Os rios do norte ( Mondego , Lima e Minho ) mantêm ainda populações com alguma relevância. É considerada uma espécie vulnerável em Portugal.

Da pagela dos CTT:

«Sável, Alosa alosa
O Sável, espécie ameaçada, distribui-se, em Portugal, nas bacias hidrográficas dos rios Minho, Vouga, Mondego (a maior subpopulação), Tejo, Guadiana e, ocasionalmente, no rio Douro
Os juvenis descem os rios e crescem no ambiente estuarino. Posteriormente, migram para o mar, onde se alimentam de plâncton, e só regressam aos rios para a reprodução.

Lampreia-de-rio, Lampetra fluviatilis
Esta espécie, criticamente em perigo, encontra-se, em Portugal, nas bacias hidrográficas dos rios Douro, Vouga, Mondego, Lis, Ribeiras do Oeste, Tejo e Sado.
É um peixe muito primitivo, com um esqueleto de cartilagem simples e uma boca em forma de ventosa, que lhe permite alimentar-se do sangue de outros animais. Os adultos desovam em água doce, no fundo dos rios, e morrem pouco tempo depois. Os juvenis descem até aos estuários e migram para o mar para completarem o seu crescimento. »

Dados Técnicos

Emissão / issue
2011 / 04 / 07
Selos / stamps
€0,32 - 370 000
€0,47 - 160 000
€0,68 - 220 000
€0,80 - 155 000
Ilustrações
Pedro Salgado
Design
Atelier Acácio Santos / Elisabete Fonseca
Créditos / Credits
Fotos/ Photos: Corbis, Francisco Almeida Dias (fotos)
Papel / paper
110 / m2 White TR CPST331
Formato / size
selos / stamps: 40 x 30,6 mm
Bloco / souvenir - sheet - 125 x 95 mm
Picotagem / perforation
Cruz de Cristo / Cross of Christ 13 x 13
Impressão / printing
offset
Impressor / printer
Joh. Enschedé
Folhas / sheets
Com 50 ex. / with 50 copies
Inteiro Postal / Postal Stationery
€o,32
Sobrescritos de 1º dia / FDC
C6 – 0,56
C5 – 0,75
Pagela / brochure
0,70


A Barragem da Aguieira ou informalmente Barragem da Foz do Dão situa-se no leito do Rio Mondego , a cerca de 2 quilómetros a jusante da foz do Rio Dão , situando-se nos limites do concelho de Penacova , no Distrito de Coimbra , e do concelho de Mortágua , no Distrito de Viseu . Concluída no ano de 1979 , entrou em funcionamento no ano de 1981 .

Os seus principais objectivos são a produção e fornecimento de energia hidroeléctrica , a irrigação agrícola e o controle de cheias, sobretudo na chamada região do Baixo Mondego .
A sua albufeira estende-se pelos concelhos de Penacova , Carregal do Sal , Mortágua , Santa Comba Dão , Tábua e Tondela , correspondendo a uma área inundada de 2 000 hectares e a uma capacidade total de 423 000×10³ m³.
Através da albufeira , estabelece-se o fornecimento de água aos municípios vizinhos, designadamente à cidade de Coimbra .
Ainda que com algumas restrições, nas suas águas desenvolvem-se várias actividades de recreio e lazer, tais como a pesca, banhos e natação, navegação à vela e a remos, pelo que não é de admirar a alta afluência de pessoas que a ela se dirigem.

Fonte: wikipedia




Vinhetas IANT 1966 - Barcos do Mondego (de folha de 25 selos)


Página Principal | Atividades | Links

Copyright © 1999-2017 J. Cura, Secção Filatélica da AAC - Portugal
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

[Voltar]
Última atualização: 07/09/2016