Padre Américo

 

Américo Monteiro de Aguiar teve um dia uma inspiração: recolher o "lixo das ruas".
Nascia, a 7 de Janeiro de 1940, em Miranda do Corvo (Coimbra) a primeira Casa do Gaiato, com o objectivo de apoiar os rapazes abandonados, vítimas da miséria social então instalada no país.
Américo Monteiro de Aguiar Pai Américo para os "gaiatos", Padre Américo para os de fora nasceu em 23 de Outubro de 1887, em Galegos, Penafiel. Trabalhou no comércio, foi para Moçambique, voltou para Portugal em 1923 e decidiu-se pela vida de franciscano. Partiu ainda para Espanha, abandonou a ideia do franciscanismo, não a de padre. Entrou depois no Seminário de Coimbra em 1925.
Foi ordenado padre em Julho de 1929 e dedicou-se então a ajudar os mais pobres da cidade do Mondego: pessoas sem casa, famílias sem dinheiro, doentes e reclusos.
Depois de tomar conta da Sopa dos Pobres, promoveu colónias de férias para crianças da rua. Nessa actividade surgiu a inspiração da Casa do Gaiato.
Depois de Miranda do Corvo, em 1940, a "aldeia dos rapazes em Paço de Sousa (Penafiel), começou a ser construÍda em 1943.
Em 1945, abriu um lar de estudantes no Porto, fundou o Património dos Pobres, em 1951, dedicado às famÍlias sem casa e, em 1957, o Calvário, destinado aos doentes incuráveis e abandonados.
Em 1944, surgiu o primeiro número de "O Gaiato" (agora com 73 mil exemplares, dos quais 60 mil para assinantes), um jornal "maltrapilho das ruas", cujos "artigos de fundo'' são escritos pelos rapazes da obra.
Em 16 de Julho de 1956, a aventura de Pai Américo parou repentinamente num acidente de viação.
Hoje, as cinco Casas do Gaiato (mais duas em Angola e uma em Maputo), com onze padres, continuam a ter preocupações distintas dos asilos da época em que foram criadas. E continuam todas com o portão de entrada sempre aberto. Um portão por onde já entraram mais de 12 mil gaiatos (a saÍdas foram menos de dez por cento) e que actualmente é a porta de casa para 600 crianças e jovens.

imagens/ip_padreamerico_1987.gif
IP comemorativo do Centenário do nascimento do Padre Américo. Taxa de 25$00. Design de Carlos Alberto Pinto e impressão na INCM


CC da Mostra Filatélica de homenagem ao Padre Américo, Miranda do Corvo, 1986/10/23


Postal circulado de Paço de Sousa, da Casa do Gaiato, para Espinho com marca de dia de 27.8.56 e porte de 60 ctvs. Coleção de sócio

 

Ver Mostra Filatélica Padre Américo

 

 

Página Principal | Atividades | Links

Copyright © 1999-2017 J. Cura, Secção Filatélica da AAC - Portugal
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

[Voltar]
Última atualização: 11/08/2013