Mário Silva

Cientista português nascido em Coimbra, na freguesia da Almedina, fundador, entre outras instituições, a primeira emissora de rádio do país: a Emissora Universitária de Coimbra (1933).

Após terminar a instrução primária (1910), entrou para o Liceu, diplomando-se em ciências (1917) e passando a escrever artigos para jornais como o notável trabalho filosófico-científico Sobre o Problema da Génese (1920). Nomeado sucessivamente 2º Assistente supra numerário do 1º Grupo da 2ª Secção da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra (1921), 2º Assistente da Faculdade do 1º Grupo da 2ª Secção (1922) e 1º Assistente (1924). Iniciou o seu doutoramento no Instituto do Rádio de Paris, como bolsista da Faculdade de Ciências de Coimbra (1925), onde estudou com Madame Curie e foi colega e amigo de grandes cientistas como Frédéric Joliot , Iréne Curie , S. Rosenblum , A. Proca , etc.

Através de Jean Perrin apresentou à Academia das Ciências de Paris o seu artigo Mobilité des Ions Négatifs et Courants d´Ionisation dans l´Argon Pur (1926) que o levou a ser eleito membro da Societé Française de Physique (1926). Obteve o Doctorat d´Etat, ès-sciences , pela Universidade de Paris (1928) defendendo a tese intitulada Recherches Expérimentales sur l´Électroaffinité des Gaz , perante uma mesa formada por três grandes cientistas franceses: Madame Curie (Presidente), Jean Perrin e Debierne.

Voltando a Portugal (1929), foi nomeado Professor Auxiliar da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra e iniciou suas pesquisas sobre núcleos atómicos, que infelizmente tiveram que ser interrompidos por problemas internos na universidade. Indicado por Madame Curie, tornou-se pesquisador bolsista da  Universidade de Paris até voltar a Portugal, quando publicou La Radioactivité des Gaz Spontanés de la Source de Luso no congresso de Hidrologia, Climatologia e Ciências Médicas (1930), um trabalho pioneiro sobre radioactividade em Portugal. Juntamente com o Professor de Medicina Álvaro de Matos criou o Instituto do Rádio de Coimbra (1931). Tornou-se Professor Catedrático (1931) e foi nomeado para Diretor do Laboratório de Física da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra (1931). Continuou a publicar artigos em revistas importantes da Europa e criou juntamente com Teixeira Lopes , seu assistente, e Armando Lacerda , diretor do Laboratório de Fonética Experimental da Faculdade de Letras, a primeira emissora de rádio do país: a Emissora Universitária de Coimbra (1933) e também a Rádio Clube do Centro de Portugal.

Publicou a primeira parte do livro didático Lições de Física , Coimbra (1937), fundou o Museu Pombalino de Física da Faculdade de Ciências de Coimbra (1938) e foi eleito membro da American Physical Society (1941). Eleito Vice-Presidente da Comissão Distrital por Coimbra do Movimento de Unidade Democrática (MUD) foi preso por duas vezes (1946/1947) e aposentado compulsoriamente da Universidade de Coimbra (1947). Daí por diante passou a se dedicar mais intensivamente a publicação de livros didáticos e prestar consultorias científicas. Nomeado Presidente da Comissão de Planeamento do Museu Nacional da Ciência e da Técnica (1971) do Ministério da Educação Nacional, passou a dirigir as publicações do Museu Nacional da Ciência e da Técnica (1971) até conseguir sua oficialização (1976) e nomeado seu Director.

Oficialmente reintegrado como Professor Catedrático da Universidade, morreu em Coimbra a 13 de Julho.

fonte: http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/MarioASi.html

Mais informações: http://nautilus.fis.uc.pt/museu/msilva/biografia.html

 

Página Principal | Atividades | Links

Copyright © 1999-2017 J. Cura, Secção Filatélica da AAC - Portugal
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

[Voltar]
Última atualização: 06/07/2013