Imprensa

[2000] [2001] [2002] [2003] [ 2004 ] [ 2005 ] [ 2006] [2007] [2008] [2009] [ 2010 ]

[ 2011 ]


in Boletim CFP, Dezembro 2011


Secção Filatélica ganha quatro medalhas

in Campeão das Provincias, 2011/12/22. ver recorte


 

imagens/imprensa/recorte_asbeiras_20111118_p.jpgFilatelia


"Diário do Alentejo" ganha mais um prémio


A rubrica Filatelia acaba de ser distinguida pela quarta vez com o Prémio de Mérito – Literatura "A. Guedes de Magalhães (melhor autor)" (2010). Este mesmo prémio foi atribuído ex aequo a Américo Rebelo pelos seus artigos publicados em diversas revistas.

Os restantes prémios de literatura – 2010 foram atribuídos a: prémio "Godofredo Ferreira" (melhor livro)" a Isabel Freitas Valente e João Rui Pita, pelo seu livro À Descoberta da Europa na Filatelia Portuguesa . Prémio "O Philatelista" (melhor periódico) à revista "Vale do Neiva Filatélico", da Associação de Filatelia e Colecionismo do Vale do Neiva. O prémio "Carlos Trincão", que distingue obras não incluídas nas categorias anteriores, foi atribuído ao catálogo do Dia do Selo 2010 da Associação de Filatelia e Colecionismo do Vale do Neiva. O prémio "Aníbal Queiroga" (melhor website de filatelia) distinguiu http:/sfaac-filatelia.blogspot.com da secção filatélica da Associação Académica de Coimbra. Por último, o prémio "Juvenil de Literatura Filatélica" premeia "A Carta", artigo de Gonçalo Lima, publicado na "Revista Lusitana" n.º 22.

No âmbito desta festividade terão lugar diversas atividades, nomeadamente o Salão de Filatelia "Monarquia versus República", onde estarão presentes seis coleções, três representativas do período monárquico e outras três do período republicano; o lançamento de o "Timbre" (revista da Confraria) e o Congresso da Federação Portuguesa de Filatelia.

Após o almoço proceder-se-á à entrega dos prémios anuais da FPF já referidos, do galardão de "Filatelista Eminente" e do diploma de "Carteiro Honorário" que este ano distingue o confrade João Soeiro.

As celebrações, que este ano são organizadas pela Confraria Timbrológica Meridional (Évora), encerram com a assinatura do protocolo entre a FPF e a sua congénere da Croácia.


Geada de Sousa

in Diário do Alentejo, Novembro 2011
http://da.ambaal.pt/filatelia/


Coleccionismo

Comemorações do Dia do Selo realizam-se em Évora

Este ano as comemorações oficiais do Dia do Selo, organizadas pela Federação Portuguesa de Filatelia conjuntamente com a Confraria Timbrológica Meridional, vão decorrer no Hotel D. Fernando, em Évora, no próximo dia 1 de Dezembro.

O ponto alto do evento será a assinatura do protocolo entre a Federação Portuguesa de Filatelia e a Federação Croata de Filatelia.

As comemorações iniciam-se com a abertura do Salão de Filatelia ‘Monarquia versus República' onde vão estar expostas seis colecções abrangendo os últimos anos da monarquia e os primeiros da República.

Pelas 11h00, inicia-se o Congresso da Federação Portuguesa de Filatelia.    

No almoço do Dia do Selo, previsto para as 13h00, serão distribuídos os prémios anuais atribuídos pela Federação, o Galardão de Filatelista Eminente e o Diploma de ‘Carteiro Honorário'. 

O Galardão de ‘Filatelista Eminente' foi este ano atribuído a Pedro Vaz Pereira e o de ‘Carteiro Honorário' a João Soeiro enquanto que os prémios de mérito de Literatura Filatélica foram atribuídos como segue. Prémio ‘O Philatelista - melhor periódico' à revista ‘Vale do Neiva Filatelico'.

Prémio ‘A. Guedes de Magalhães - melhor autor' ex aequo a Américo Rebelo e José Geada de Sousa, ‘Prémio Godofredo Ferreira - melhor livro' a ‘À descoberta da Europa na Filatelia Portuguesa' de Isabel Valente e João Pita; ‘Prémio Aníbal Queiroga' - melhor website de Filatelia a http://sfaac-filatelia.blogspot.com da Secção Filatélica da Associação Académica de Coimbra; ‘Prémio Carlos Trincão' - outras obras ao ‘Catálogo do Dia do selo 2010' da Associação de Filatelia e Coleccionismo do Vale do Neiva e por último o ‘Prémio Juvenil de Literatura Filatélica' a Gonçalo Lima pelo texto a ‘Carta'.

[...]

In Correio da Manhã, 19 Novembro 2011
http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/lazer/cultura/comemoracoes-do-dia-do-selo-realizam-se-em-evora


Comemorações do Dia do Selo realizam-se em Évora

Sábado, 19 Novembro 2011 23:53

O Galardão de 'Filatelista Eminente' foi este ano atribuído a Pedro Vaz Pereira e o de 'Carteiro Honorário' a João Soeiro enquanto que os prémios de mérito de Literatura Filatélica foram atribuídos como segue. Prémio 'O Philatelista - melhor periódico' à revista 'Vale do Neiva Filatelico'.

Prémio 'A. Guedes de Magalhães - melhor autor' ex aequo a Américo Rebelo e José Geada de Sousa, 'Prémio Godofredo Ferreira - melhor livro' a 'À descoberta da Europa na Filatelia Portuguesa' de Isabel Valente e João Pita; 'Prémio Aníbal Queiroga' - melhor website de Filatelia a http://sfaac-filatelia.blogspot.com da Secção Filatélica da Associação Académica de Coimbra; 'Prémio Carlos Trincão' - outras obras ao 'Catálogo do Dia do selo 2010' da Associação de Filatelia e Coleccionismo do Vale do Neiva e por último o 'Prémio Juvenil de Literatura Filatélica' a Gonçalo Lima pelo texto a 'Carta'.

FONTE: Correio da Manhã

http://www.evoracity.net/index.php?option=com_content&view=article&id=159:comemoracoes-do-dia-do-selo-realizam-se-em-evora&catid=1:ultimas&Itemid=98


Exposição filatélica luso-brasileira

recorte

in As Beiras, 2011/10/28


in As Beiras, 2011/10/27


in Diário de Coimbra, 2011/10/27


in Diário do Alentejo, 2011/10/21


Coleccionismo

Exposição de clube filatélico arranca em Lisboa

Já arrancou a 5ª edição do Trofeu Comendador Dias Ferreira, que assinala também o 68º aniversário do Clube Filatélico de Portugal. Nesta exposição filatélica, que tem o nome do sócio fundador do Clube Filatélico de Portugal, participam dezenas de filatelistas com colecções de um quadro.

[...]

Também no dia 27 tem lugar, em Coimbra, o Congresso Luso-Brasileiro da História das Ciências. Para o efeito foi editada uma marca postal pelos CTT que reproduz o geofísico José Bonifácio Andrade e Silva, que está ligado à Universidade de Coimbra e á fundação do Brasil.

O carimbo estará à disposição dos coleccionadores no Auditório da Universidade de Coimbra onde decorre uma mostra filatélica.   

in Correio da Manhã, 2011/10/22

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/lazer/cultura/exposicao-de-clube-filatelico-arranca-em-lisboa


Exposição de Filatelia e Carimbo Comemorativo

Durante o Congresso Luso-Brasileiro de História das Ciências, vai funcionar no Auditório da Reitoria um posto de correio onde será possível circular correspondência para qualquer lugar do mundo. No dia 27, quinta-feira, os CTT terão disponível um posto de correio temporário onde será utilizado um carimbo comemorativo, como ilustra a figura, em toda a correspondência entregue, que retrata José Bonifácio de Andrada e Silva, geofísico, que está ligado à Universidade de Coimbra e à fundação do Brasil.


Numa iniciativa conjunta da organização do congresso e da Secção Filatélica da Associação Académica de Coimbra, com o apoio dos CTT – Correios de Portugal e da Federação Portuguesa de Filatelia estará patente no Auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra uma Mostra Filatélica cujo tema central será a Ciência, com colecções sobre Matemática, José d'Andrada e Silva, Carimbos de Ciência e a cidade de Coimbra.

in site do Congresso, http://www.uc.pt/congressos/clbhc/ Outubro de 2011
http://www.uc.pt/congressos/clbhc/filatelia/

ver print screen


Correios: Vereador alerta para fecho de mais quatro estações

O vereador da Câmara de Coimbra Francisco Queirós (CDU) alertou, hoje, para o encerramento de mais quatro estações dos Correios, as de Cernache, Taveiro e Ceira e a dos HUC, depois do fecho das de Santa Clara, Mercado de D. Pedro V e Universidade.

  “Exige-se uma tomada de posição urgente e firme” da autarquia “na defesa do serviço público de correio”, assinalou o edil.

in Campeão das Províncias, 12 Setembro 2011
http://campeaoprovincias.com/pt/index.php?option=com_content&view=article&id=10105:correios-vereador-alerta-para-fecho-de-mais-quatro-estacoes&catid=14:actualidade&Itemid=130


 

in Diário de Coimbra, 2011/08/10


NEGOCIAÇÕES EM CURSO COM JUNTAS DE FREGUESIA

CTT negoceiam mais
estações de Coimbra

Correios de Portugal querem transferir serviços de Taveiro, Cernache e Ceira, devendo encerrar a Estação dos HUC

Apesar de dispor de boas instalações físicas, a Junta de Freguesia de Cernache vai ter de responder negativamente à proposta dos CTT para ficar com o serviço da actual Estação de Correios.
«Vai ser muito mau», observa Vítor Carvalho, antecipando um cenário de encerramento. «Não sei se os CTT vão encerrar a Estação, ou dar o serviço à exploração de privados», salvaguarda o autarca, tendo como certo que a Junta de Freguesia a que preside não tem recursos humanos para aceitar a proposta e, argumenta, «como estamos impedidos de fazer novas contratações vamos ter de recusar». Caso encerre, vaticina, os «quatro a cinco mil residentes ficam sem alternativas no serviço de correios».

in Diário de Coimbra, 2011/08/06
http://www.diariocoimbra.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=13977&Itemid=135


COIMBRA

Reitor critica fecho de Correios na Universidade

É a terceira estação dos CTT a encerrar em Coimbra este mês

O reitor da Universidade de Coimbra, João Gabriel Silva, afirma que o encerramento da estação de correios no Pólo I, no final da próxima semana, vai causar «transtornos relevantes», e lamenta o procedimento adoptado pela empresa.
«É uma decisão unilateral, e nem sequer compreendemos a lógica subjacente», declarou à agência Lusa, lamentando que estando os Correios a utilizar instalações universitárias, por arrendamento, «não tenha havido uma tentativa de conversar».

in Diário de Coimbra, 2011/07/23
http://www.diariocoimbra.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=13781&Itemid=135target=%E2%80%9D_new%E2%80%9Dclass=%E2%80%9Dlink%E2%80%9D


Reitor descontente com encerramento de Correios na Universidade de Coimbra

O reitor da Universidade de Coimbra , João Gabriel Silva , afirma que o encerramento da estação de correios no seu Polo I, no final da próxima semana, vai causar “transtornos relevantes”, e lamenta o procedimento adotado pela empresa.

“É uma decisão unilateral, e nem sequer compreendemos a lógica subjacente”, declarou à Lusa, lamentando que estando os Correios a utilizar instalações universitárias, por arrendamento, “não tenha havido uma tentativa de conversar”.

No entendimento de João Gabriel Silva, trata-se de “uma estação de manifesta utilidade para o Pólo I”, onde ainda se concentram todos os serviços administrativos da universidade, uma parte das faculdades, e outras estruturas como a Biblioteca Geral e o Museu da Ciência.

Uma fonte da Universidade de Coimbra revelou à agência Lusa que a administração dos Correios comunicou a rescisão do contrato de arrendamento das instalações da estação, ficando a pagar renda por mais meio ano, até à extinção desse vínculo.

Com o encerramento da Estação dos Correios da Universidade, no próximo dia 29, elevam-se para três as que na cidade fecham as portas este mês. Há poucos dias foram as de Santa Clara, e a emblemática do Mercado, onde durante décadas estiveram instalados os serviços centrais de correios e telecomunicações.

“As mudanças na rede de balcões resultam do sobredimensionamento e redundância da oferta de serviços de correio na cidade, onde nos últimos anos se verificou uma acentuada quebra na procura dos serviços”, explicou à agência Lusa uma fonte oficial dos Correios.

Henrique Santos, coordenador da Beira Litoral do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações referiu que neste processo a administração da empresa “tem agido pela calada”, e quando a sua organização tenta contrariar os encerramentos “já é tarde”.

A mesma fonte dos Correios salientou que com os encerramentos não tem havido despedimentos, mas transferência para outras estações. Contudo, o sindicalista diz que os trabalhadores, quando se enquadram no programa de pré-reformas, são convidados a aderir.

“Recolocam os trabalhadores noutros locais, mas mais tarde teremos excedentes”, afirma à agência Lusa Henrique Santos, admitindo que nessa altura possam avançar rescisões de contratos.

No final do mês de junho, o eventual encerramento das estações do Mercado e Santa Clara foi dada a conhecer pelo presidente da Câmara Municipal aos restantes vereadores do executivo, mas como algo que não aconteceria nos dias seguintes, como veio a suceder.

“Encerrar estações de correios é uma diminuição dos serviços às pessoas”, declarara na altura João Paulo Barbosa de Melo, frisando que a Câmara iria empenhar-se para que tal não sucedesse, e que no caso da do Mercado a autarquia poderia ceder instalações.

O encerramento das estações apanhou de surpresa autarcas e o reitor da Universidade de Coimbra e o sindicato, mas Henrique Santos afirma saber que “há mais na calha”.

“Poderá haver ajustamentos na rede de modo a adequar a oferta de serviços à procura por parte da população. Atualmente, no concelho de Coimbra existem 35 balcões dos CTT, entre 16 Estações e 19 Postos, a que somam 27 Lojas PayShop, que asseguram a cobertura na prestação do serviço postal”, reconheceu a fonte oficial dos CTT.

in As Beiras, 2011/07/22
http://www.asbeiras.pt/2011/07/reitor-descontente-com-encerramento-de-correios-na-universidade/


 JORNADAS DE HISTÓRIA E FILATELIA

A Presidente da Seção Filatélica da Associação Acadêmica de Coimbra e Coordenadora do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra organizaram a II Jornada de História e Filatelia, realizada em 2 de Junho de 2011. O Programa do evento contou com o seguinte conjunto de palestras: A Importância Cultural do Selo – João Rui Pita (FFUC/CEIS20/SFAAC); Ricardo Jorge símbolo de um processo com duzentos anos

- Ana Leonor Pereira; João Rui Pita (FLUC/CEIS20; FFUC/CEIS20); Vacinação – O Novo Paradigma Terapêutico - Sandrine Martins Pinto (CEIS20); Da filatelia de Vidal à (in)suficiência da Constituição da República - Lia Raquel Neves (CEIS20); Apresentação da obra História e Filatelia I - de Maria Manuela Tavares Ribeiro (FLUC/CEIS20); A República e o Ensino - Luís Reis Torgal (FLUC/CEIS20; O 25 de Abril na filatelia - Natércia Coimbra (Centro 25 Abril); Portugal e a União Europeia – 25 anos de integração - Isabel Maria Freitas Valente (FLUC/CEIS20/SFAAC).

Após estas comunicações o evento promoveu um debate entre os participantes tendo moderadora a Sra. Maria Manuela Tavares Ribeiro. O final do dia dedicado ao tema teve como orador o Sr. Eurico Lage Cardoso (filatelista) que dissertou sobre “O Selo Postal nas suas diversas acepções”.

in Boletim Eletrônico do Brasil Filatélico Fase 2 - Número 03 - Junho-Agosto de 2011 Editor Responsável: Rubem Porto Jr.
website do Clube Filatélico do Brasil: www.clubefilatelicodobrasil.com.br


Notícias Breves

ver recorte

Boletim do CFP, Junho 2011


coimbra

Correios já fecharam em
Santa Clara e no Mercado

CTT justificam-se com a diminuição de clientes, perda de receitas e renda elevada do imóvel da Baixa

As estações de Correios de Santa Clara e do Mercado D. Pedro V já fecharam. Os avisos de encerramento dos CTT foram concretizados, de nada valendo as preocupações manifestadas pela Câmara de Coimbra. Ontem, em Santa Clara, um papel afixado na porta de entrada informava o «estimado cliente», que «vamos mudar a partir do próximo dia 11 de Julho».
Na mesma informação, lia-se que «os serviços desta estação de Correios passam a ser prestados na estação de Correios do Rossio, Rua Feitoria dos Ninhos, ou S. Martinho do Bispo, Rua dos Covões». Por fim, o documento dava conta do horário de funcionamento das duas estações: «9h00/12h30 e 14h00/ /18h00». À porta dos Correios de Santa Clara, numa faixa deixada pelo Partido Comunista Português, lia-se que «este serviço não pode encerrar».

in Diário de Coimbra, 2011/07/16


Santa Cruz pode "ficar" com Correios do Mercado

in Diário de Coimbra, 2011/07/13
ver recorte


Vão fechar os Correios de Santa Clara, porquê?
Fala o Leitor

in Diário de Coimbra, 2011/07/07
ver recorte


Três estações de correios em risco de fechar

in Diário de Coimbra, 2011/06/29
ver recorte


Encerramento de estações dos CTT: Santa Clara, amputada no seu orgulho

O espectro do encerramento de várias estações dos CTT aí está. Esta actividade que, em Portugal, remonta ao século XVI, com distribuição domiciliária nos primórdios do Século XIX, traçou o seu caminho por entre as vidas dos portugueses como algo indispensável.
Contrariamente a outras instituições do Estado, os CTT não têm tido problemas de fundo ao nível da sua tesouraria, pelo que a política de encerramento de várias estações ao longo do país é lesiva e atentatória contra o interesse público e dos cidadãos que dela dependem.
Existe ainda uma importante responsabilidade de carácter social, não só pelos postos de trabalho que são extintos, agravando dessa forma os números do desemprego, como também pelo corte da possibilidade de muitos cidadãos poder aí receber as suas pensões e reformas.
Por outro lado ainda, a sua acção enquanto entidade “financeira” pela venda de certificados de aforro, assume um papel de financiamento do Estado de forma mais transparente, longe da especulação financeira internacional que conhecemos.
Portanto, o governo prevê privatizar uma instituição que é do povo, colocando em causa um serviço verdadeiramente social e de proximidade. Aliás, essa pretensão – também uma das exigências da Troika – prevê o encerramento de 300 Estações.
Os CTT têm o peso de 500 anos de História na prestação de serviços, atingindo, actualmente, uma qualidade reconhecida de todos os portugueses aquém e além-fronteiras. Querer privatizar uma empresa como os CTT, é coarctar a prestação de serviços sociais e apagar partes da sua estrutura para a tornar atractiva para o sector privado.
Claramente, quem fica a perder é o todo – o povo -, em favor de uns quantos – o privado.
Discordamos objectivamente com o encerramento de grande parte das Estações de Correio.
Particularmente, lamentamos que Santa Clara – freguesia secular, com mais de 10 000 habitantes, e em amplo crescimento - que detinha faz alguns anos uma segunda Estação, se veja agora amputada no seu orgulho pelo seu encerramento.

Santa Clara fica assim mais pobre e os santaclarenses têm o direito à indignação.
|*Membro da Assembleia Municipal de Coimbra pelo PS


Quinta-feira, 16 de Junho de 2011

CEIS20 acolhe II Jornadas de História e Filatelia

A Secção Filatélica da Associação Académica de Coimbra, é um orgão da Univesidade de Coimbra, onde os estudantes e habitantes da cidade podem associar-se.
O objectivo é que o Coleccionador compre, venda, troque as suas espécies filatélicas entre os colegas, ou adquira à própria Associação.
Desde selos portugueses a estrangeiros, passando por temáticas das mais variadas espécies, tudo é possível encontrar na SF/AAC.
Deixo-vos aqui um artigo que encontrei na Internet sobre a AAC e a sua Secção Filatélica.


Pela segunda vez realizam-se, em Coimbra, as Jornadas de História e Filatelia. Conjuntamente com o Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra (CEIS20), a Secção de Filatelia apresenta trabalhos e palestras relacionados com o mundo dos selos.

“A ideia básica das jornadas é pegar num selo e dar a um investigador para que este apresente um trabalho com base nesse mesmo selo. Tudo isto numa perspetiva histórica e científica”. Quem o diz é Nuno Cardoso, tesoureiro da Secção Filatélica da Associação Académica de Coimbra (SF/AAC).

A ideia, que surgiu no ano passado “no encontro de interesses entre o CEIS20 e a secção filatélica”, repete-se este ano amanhã, 2 de junho na Sala de Conferência dos CEIS20, durante todo o dia: novos investigadores, novos selos e uma palestra a título de encerramento vão marcar esta iniciativa, onde a entrada é livre. Entre a organização conta-se Isabel Valente, presidente da Secção Filatélica da AAC, e Rui Pita, membro do CEIS20. Nuno Cardoso lembra ainda que este ano vai ser editado um CD com os trabalhos apresentados no ano anterior.

Admitindo a dificuldade em aproximar as pessoas à filatelia, Nuno Cardoso diz que o principal objetivo destas jornadas é “mostrar que a filatelia e que os filatelistas são também investigadores” e, ao mesmo tempo, “juntar a investigação e o colecionismo nesta vertente de que na nossa perspetiva a filatelia retrata o mundo”.

Quanto a expectativas, Nuno Cardoso espera que os “investigadores que vão apresentar os seus trabalhos se sintam realizados e que o público goste de ouvir as palestras”.



in http://filatelicamentecentro.blogspot.com/2011/06/ceis20-acolhe-ii-jornadas-de-historia-e.html

AAC edita mais um livro de filatelia

in Diário do Alentejo, 2011/06/10
ver recorte


CEIS20 acolhe II Jornadas de História e Filatelia

Quarta, 01 de Junho de 2011

por Maria Garrido

Pela segunda vez realizam-se, em Coimbra, as Jornadas de História e Filatelia. Conjuntamente com o Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra (CEIS20), a Secção de Filatelia apresenta trabalhos e palestras relacionados com o mundo dos selos

“A ideia básica das jornadas é pegar num selo e dar a um investigador para que este apresente um trabalho com base nesse mesmo selo. Tudo isto numa perspetiva histórica e científica”. Quem o diz é Nuno Cardoso, tesoureiro da Secção Filatélica da Associação Académica de Coimbra (SF/AAC).

A ideia, que surgiu no ano passado “no encontro de interesses entre o CEIS20 e a secção filatélica”, repete-se este ano amanhã, 2 de junho na Sala de Conferência dos CEIS20, durante todo o dia: novos investigadores, novos selos e uma palestra a título de encerramento vão marcar esta iniciativa, onde a entrada é livre. Entre a organização conta-se Isabel Valente, presidente da Secção Filatélica da AAC, e Rui Pita, membro do CEIS20. Nuno Cardoso lembra ainda que este ano vai ser editado um CD com os trabalhos apresentados no ano anterior.

Admitindo a dificuldade em aproximar as pessoas à filatelia, Nuno Cardoso diz que o principal objetivo destas jornadas é “mostrar que a filatelia e que os filatelistas são também investigadores” e, ao mesmo tempo, “juntar a investigação e o colecionismo nesta vertente de que na nossa perspetiva a filatelia retrata o mundo”.

Quanto a expectativas, Nuno Cardoso espera que os “investigadores que vão apresentar os seus trabalhos se sintam realizados e que o público goste de ouvir as palestras”.

in A Cabra, 2011/06/01
http://www.acabra.net/artigos/ceis20-acolhe-ii-jornadas-de-histria-e-filatelia


Outras notícias sobre as Jornadas:

http://www.ceis20.uc.pt/ceis20/site/index.php?target=showContent&id=403&id_lingua=1

http://arepublicano.blogspot.com/2011/06/ii-jornadas-de-historia-e-filatelia.html

http://www.uc.pt/tomenota/2011/05_2011/20110531_1

http://www.site.gazetadecoimbra.com/index.php?option=com_content&view=article&id=98889:sec%C3%A7%C3%A3o-filat%C3%A9lica-da-aac:-ii-jornadas-de-hist%C3%B3ria-e-filatelia-%3Cb%3E...%3C/b%3E&catid=1:blogs&Itemid=50

http://ml.ci.uc.pt/mhonarchive/histport/msg03323.html

http://ml.ci.uc.pt/mhonarchive/histport/msg03280.html


 

in Diário de Coimbra, 2011/06/01
ver recorte


História secular da cidade é “selo distintivo” que importa reforçar

http://www.asbeiras.pt/wp-content/uploads/2011/05/07-900-ANOS-COIMBRA-LC-300x168.jpg

Foto Luís Carregã

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra , João Paulo Barbosa de Melo , disse que a história secular da cidade é um “ selo distintivo ” que importa reforçar .

“Quanto mais e melhor celebrarmos a nossa história mais e melhor preparamos o futuro”, defendeu o autarca, ao intervir na abertura oficial do programa dos 900 anos do primeiro foral de Coimbra.

Concedido pelo conde D. Henrique em 26 de maio de 1111, o documento fundador do município de Coimbra motiva um programa comemorativo promovido pela autarquia que começa hoje e se prolongará por um ano.

João Paulo Barbosa de Melo disse que o concelho, 900 anos depois da carta foraleira que estabeleceu os seus direitos e deveres, não muda com a passagem desta data.

“A diferença está na ordem simbólica, que enriquece o espírito” de cada cidadão de Coimbra, fortalece a identidade concelhia e promove o seu desenvolvimento, sustentou.

Realçando que “Portugal preparou-se, resistiu, cresceu e envelheceu como nação nestes 900 anos”, o autarca do PSD defendeu que “é possível voltar a nascer”.

“Vivemos um tempo de grande perigo para a nossa soberania nacional”, com “imposições e exigências de reajustamentos”, alertou, sem mencionar em concreto as medidas adotadas face à crise económica, social e política do país, nem o memorando fixado pela “troika” internacional.

Na sua opinião, insistiu, Portugal “está sob um conjunto de ameaças que são graves”.

“É importante não esquecer nunca a dimensão política e histórica da nossa nação”, acrescentou, ao considerar que o país, em quase 900 anos de história, foi-se forjando no “equilíbrio entre o poder central e o poder local”, uma correlação de forças que na sua ótica não deve ser destruída.

O presidente da Câmara apelou aos concidadãos para “saberem ser fiéis aos muitos que fizeram Coimbra” e saberem enfrentar “os ventos de desgraça que por aí sopram”.

Na cerimónia, no salão nobre dos Paços do Concelho, intervieram ainda a vice-presidente do executivo e vereadora da Cultura, Maria José Azevedo Santos, e o presidente da Assembleia Municipal, Manuel Lopes Porto.

As docentes universitárias Maria Helena da Cruz Coelho e Paula Pinto Costa proferiram conferências sobre, respetivamente, a consolidação de Coimbra como concelho ao longo dos séculos, desde a emissão do seu primeiro documento foraleiro, em 1111, e o papel do conde D. Henrique enquanto líder político e militar do condado Portucalense.

A sessão incluiu ainda a apresentação pelo diretor da Filatelia dos CTT, Raul Moreira, do “inteiro postal” alusivo aos 900 anos do foral de Coimbra.

Seguiu-se a atuação do Coro Municipal Carlos Seixas e a partilha de um bolo gigante decorado com 900 pequenas rosas, confecionado por alunos da Escola de Hotelaria de Coimbra.

in As Beiras, 2011/05/27
http://www.asbeiras.pt/2011/05/historia-secular-da-cidade-e-selo-distintivo-que-importa-reforcar/

Ver recorte


Coimbra: História da cidade é "selo distintivo" que importa reforçar - autarca

Coimbra, 26 mai (Lusa) -- O presidente da Câmara Municipal de Coimbra, João Paulo Barbosa de Melo, disse hoje que a história secular da cidade é um "selo distintivo" que importa reforçar.

Coimbra, 26 mai (Lusa) -- O presidente da Câmara Municipal de Coimbra, João Paulo Barbosa de Melo, disse hoje que a história secular da cidade é um "selo distintivo" que importa reforçar.

"Quanto mais e melhor celebrarmos a nossa história mais e melhor preparamos o futuro", defendeu o autarca, ao intervir na abertura oficial do programa dos 900 anos do primeiro foral de Coimbra.

Concedido pelo conde D. Henrique em 26 de maio de 1111, o documento fundador do município de Coimbra motiva um programa comemorativo promovido pela autarquia que começa hoje e se prolongará por um ano.

João Paulo Barbosa de Melo disse que o concelho, 900 anos depois da carta foraleira que estabeleceu os seus direitos e deveres, não muda com a passagem desta data.

"A diferença está na ordem simbólica, que enriquece o espírito" de cada cidadão de Coimbra, fortalece a identidade concelhia e promove o seu desenvolvimento, sustentou.

Realçando que "Portugal preparou-se, resistiu, cresceu e envelheceu como nação nestes 900 anos", o autarca do PSD defendeu que "é possível voltar a nascer".

"Vivemos um tempo de grande perigo para a nossa soberania nacional", com "imposições e exigências de reajustamentos", alertou, sem mencionar em concreto as medidas adotadas face à crise económica, social e política do país, nem o memorando fixado pela "troika" internacional.

Na sua opinião, insistiu, Portugal "está sob um conjunto de ameaças que são graves".

"É importante não esquecer nunca a dimensão política e histórica da nossa nação", acrescentou, ao considerar que o país, em quase 900 anos de história, foi-se forjando no "equilíbrio entre o poder central e o poder local", uma correlação de forças que na sua ótica não deve ser destruída.

O presidente da Câmara apelou aos concidadãos para "saberem ser fiéis aos muitos que fizeram Coimbra" e saberem enfrentar "os ventos de desgraça que por aí sopram".

Na cerimónia, no salão nobre dos Paços do Concelho, intervieram ainda a vice-presidente do executivo e vereadora da Cultura, Maria José Azevedo Santos, e o presidente da Assembleia Municipal, Manuel Lopes Porto.

As docentes universitárias Maria Helena da Cruz Coelho e Paula Pinto Costa proferiram conferências sobre, respetivamente, a consolidação de Coimbra como concelho ao longo dos séculos, desde a emissão do seu primeiro documento foraleiro, em 1111, e o papel do conde D. Henrique enquanto líder político e militar do condado Portucalense.

A sessão incluiu ainda a apresentação pelo diretor da Filatelia dos CTT, Raul Moreira, do "inteiro postal" alusivo aos 900 anos do foral de Coimbra.

Seguiu-se a atuação do Coro Municipal Carlos Seixas e a partilha de um bolo gigante decorado com 900 pequenas rosas, confecionado por alunos da Escola de Hotelaria de Coimbra.

 

CSS.

Lusa/Fim

in SIC Notícias, 2011/05/27
http://sicnoticias.sapo.pt/Lusa/2011/05/26/coimbra-historia-da-cidade-e-selo-distintivo-que-importa-reforcar---autarca


COIMBRA CELEBRA 900 ANOS DO FORAL

Portugal “em grande  perigo”
devido a “exageros e  loucuras”


Celebrar os 900 anos do Foral de Coimbra é uma forma de “fortalecer a identidade”

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra considera que o país atravessa um momento de «grande perigo» para a soberania nacional, devido a «alguns exageros e loucuras», que agora terminam com a necessidade de «reajustamentos». No encerramento da sessão solene dos 900 anos do Foral de Coimbra, João Paulo Barbosa de Melo sublinhou que Portugal está «sob um conjunto de ameaças que são graves», deixando transparecer uma alusão à crise económica e consequente intervenção do FMI (Fundo Monetário Internacional).
«É importante não esquecer nunca a dimensão política e histórica da nossa nação», acrescentou, frisando que «o equilíbrio entre o poder local e o poder central» nunca deve ser posto em causa. Caso contrário, «a história futura nunca nos iria perdoar».
E «de que valeria ter história se não tivéssemos futuro?», questionou o autarca, classificando a história «como uma âncora que nos prende às tradições, é a fonte de tanto património que nos cerca e constitui a nossa imagem de marca». Em suma, «é um selo distintivo».
Por isso, «quanto mais e melhor» a celebrarmos, «mais e melhor preparamos o futuro», defende Barbosa de Melo, certo que o concelho, 900 anos depois da carta foraleira concedida pelo conde D. Henrique a 26 de Maio de 111, não muda com a celebração.
«A diferença está na ordem simbólica, que enriquece o espírito» e contribuiu para o fortalecimento da identidade, frisou o autarca, ao fazer uma análise a um país que se «preparou, resistiu, cresceu e envelheceu como nação nestes 900 anos» e, por isso mesmo, «é possível voltar a nascer».
Na sessão comemorativa, que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho, o presidente da Assembleia da Municipal, Manuel Lopes Porto, também destacou a importância de não descurar o poder local, que, por sinal, «é muito mais antigo do que o poder nacional».
Alertando que os «países mais descentralizados são países mais desenvolvidos», Manuel Porto teme pelo relevo que o poder central possa vir a dar aos municípios, no futuro.
As docentes universitárias Maria Helena da Cruz Coelho e Paula Pinto Costa proferiram conferências sobre, respectivamente, a consolidação de Coimbra como concelho ao longo dos séculos, desde a emissão do seu primeiro documento foraleiro e o papel do conde D. Henrique enquanto líder político e militar do condado Portucalense.
A sessão incluiu ainda a apresentação pelo director da Filatelia dos CTT, Raul Moreira, do “inteiro postal” alusivo aos 900 anos do foral de Coimbra e a actuação do Coro Municipal Carlos Seixas.
Uma das principais impulsionadoras das comemorações, a vice-presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Maria José de Azevedo Santos destacou a importância de «valorizar o passado e o conservação», condenando, por outro lado, «a destruição do património material e imaterial».
Sobre a evocação do foral de 1111, a autarca destacou o partido que a cidade está a tirar com um conjunto de iniciativas culturais, que vão criando «novas interpretações contemporâneas».

Bolo com 50 quilos
deliciou munícipes
A Rainha Santa Isabel de um lado, a Torre da Universidade do outro. A separar este dois símbolos da cidade de Coimbra, o Rio Mondego, e em ambas as margens rosas, muitas rosas. Em concreto, 900. Durante alguns minutos, o bolo gigante oferecido à cidade no arranque das comemorações do 26 de Maio de 1111 atraiu os olhares de dezenas de curiosos que se dirigiram ao átrio dos Paços do Concelho.
Porque os olhos também comem, antes de ser partido em cerca de mil fatias e depois saboreado, o bolo preparado na Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra foi fotografado por muitos dos que responderam ao convite. Entre os convidados, Tozé Brito, Mike Sargeant e Moniz Pereira, que constituíam o Quarteto 1111 (ontem homenageado) , a par com José Cid, que não compareceu neste acto. A presença dos músicos não passou despercebida e alguns aproveitaram mesmo para pedir autógrafos.  
Constituído por quatro camadas de massa, o bolo pesava cerca de 50 quilos e tinha as dimensões de 1,70 por 1,10 metros. A padroeira foi feira em chocolate e coberta de massa de amêndoa, enquanto para a confecção da Torre da Universidade de Coimbra o ingrediente escolhido foi massa de açúcar.
Dez quilogramas de açúcar e oito de farinha, meio milhar de ovos, três quilogramas de amêndoa e igual peso de noz e castanha e dois quilogramas de cacau foram as quantidades necessárias. A população comeu e gostou.

Centenas de xailes
deram colorido à Baixa
A chuva não passou de ameaça e a noite foi de festa na Baixa de Coimbra. De festa e de recordação. Ao desafio lançado pelo município a população respondeu e o desfile de xailes antigos reuniu centenas de senhoras, jovens e menos jovens, entre a Portagem e a Praça 8 de Maio.
Marília Morais tem 83 anos e, quando soube da iniciativa, nem pensou duas vezes em retirar da gaveta o xaile que já vem da bisavó. A mãe, como faleceu cedo, pouco o usou, por isso é Marília quem mais exibiu e ainda exibe a relíquia do século XIX, típica das tricanas. Esta octogenária guarda bem na memória dos tempos de menina que era nos dias de festa que o xaile se colocava.
A organização estimava a participação de 900 pessoas e o número não terá andado muito longe, entre grupos folclóricos e cidadãs a título individual. A abrir o desfile de xailes, a vice-
-presidente da autarquia, acompanhada da esposa de João Paulo Barbosa de Melo. Pelas costas, Maria José Azevedo Santos tinha um xaile da avó materna, colorido, sinal que este adereço não era apenas usado pelas tricanas, mas também pela classe média, explicou.
Ao longo de todo o desfile, a música tradicional animou as participantes, muitas numa verdadeira reunião de gerações, já que não faltaram exemplos de mães, filhas e avós de xaile às costas. Uns mais tradicionais do que outros. Uns mais genuínos do que outros.
Ao inserir esta iniciativa no programa das comemorações dos 900 anos de Coimbra, a Câmara Municipal concretizou um dos objectivos a que se propôs, que foi celebrar a cidade de todas as épocas, salientou Maria José Azevedo Santos, referindo que, no caso dos xailes, se recuou ao século XIX, em que quase todas as mulheres o usavam. Para trabalhar, colocavam o preto, para os dias de festa, escolhiam os mais coloridos.
E foi essa mistura de cores que ontem invadiu a Baixa, numa noite de festa, que terminou ao som de José Cid e Sons do Centro, transferidos para o Café Santa Cruz, devido à ameaça de chuva.

in Diário de Coimbra, 2011/05/27
http://www.diariocoimbra.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=12920&Itemid=135

ver recorte: pág 2 e pág 3


Filatelia exposta no átrio da câmara

imagens/imprensa/asbeiras_20110525_mf_900anos_cbr.jpg
in As Beiras, 2011/05/25


MOSTRAS FILATÉLICAS

MOSTRA FILATÉLICA

900 ANOS DA CIDADE DE COIMBRA

 

Organiza pelo Núcleo Filatélico da Associação Académica de Coimbra, com Sessão Solene, no Salão Nobre dos Paços do Município, da cidade, com a Comemoração e apresentação de Inteiro Postal alusivo, pelo Director de Filatelia do CTT, decorre, uma Mostra Filatélica Comemorativa da efeméride.

COLECÇÕES EXPOSTAS

 

Esta Cidade Chamada Aeminium (maximafilia) – Paulo Dias

D. Afonso Henriques, Coimbra e os Lusíadas (Temática) - Paulo Dias

Portugal Selecção de emissões sobre Coimbra (Clássica) – António Pinheiro

Miguel Torga Diários (Temática) – José Cura

Clube de Coleccionadores de Carimbos da Secção Filatélica da Associação Académica de Coimbra

in Mitalaia, 2011/05/25
http://comunidade.sol.pt/blogs/mitalaia/archive/2011/05/25/MOSTRAS-FILAT_C900_LICAS.aspx


CTT quer fechar estação de Santa Clara invocando descréscimo de clientes

in As Beiras, 24/05/2011
ver recorte


Coleccionismo

Exposição da 1.ª República na Sociedade de Geografia

Durante a próxima semana vão decorrer vários eventos filatélicos com destaque para as duas exposições que vão realizar-se em Lisboa na Sociedade de Geografia de Lisboa e Sociedade Histórica da Independência de Portugal.

Por:J. Pires Santos

 

Já esta segunda-feira, pelas 16h30, na Sociedade Histórica da Independência de Portugal, no Largo de S. Domingos, em Lisboa, será inaugurado o Salão Filatélico, organizado pelo Clube Filatélico de Portugal. Os Correios de Portugal assinalam o evento com um carimbo alusivo.

Na terça-feira pelas 17h30,0 na Sociedade de Geografia de Lisboa, será inaugurada uma inédita e importante exposição ‘Uma visita à 1ª República'. Este evento tem organização conjunta da Federação Portuguesa de Filatelia e da Sociedade de Geografia e assinala o centenário da 1ª República em Portugal.

A exposição apresenta peças originais da época com destaque para o ‘Tojan' carro da República.

Eduardo e Luíz Barreiros vão proferir uma conferência sobre a 1ª Guerra Mundial e apresentam uma rara colecção da História Postal sobre o mesmo tema.

Para assinalar o evento os Correios de Portugal vão editar uma um inteiro postal, com taxa para correio doméstico, que no local da exposição será aposta uma marca postal comemorativa.           

Ainda na terça-feira será lançada a emissão filatélica alusiva dos 100 anos do Instituto dos Pupilos do Exército. Série composta por dois selos de 0,32 e 1 euros e um bloco com um selo de 2,5 euros.

No dia 26 de Maio a cidade de Coimbra celebra 900 anos da sua fundação e os Correios de Portugal vão editar um inteiro postal comemorativo que na estação central de Correios de Coimbra será aposta uma marca alusiva.

Por último, também na quarta-feira, os Correios de Portugal vão lançar a emissão comemorativa do Centenário do Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado.    

in Correio da Manhã, 2011/05/22
http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/exposicao-da-1-republica-na-sociedade-de-geografia


Administrador dos CTT releva importância do serviço público

 

O vice-presidente e presidente em exercício do Concelho de Administração dos CTT – Correios de Portugal, Pedro Coelho, esteve hoje (dia 18) em Coimbra, durante a manhã, para um encontro com directores e quadros da empresa.

Trata-se da primeira de um conjunto de apresentações que vão ser realizadas por todo o país e que pretendem “motivar as pessoas e deixar-lhes uma mensagem estratégica sobre o que a empresa está a fazer”, explicou ao nosso Jornal o administrador dos CTT.

A reunião decorreu no hotel Vila Galé e terminou perto da hora do almoço.

No final dos trabalhos, à saída da sala, Pedro Coelho fez questão de cumprimentar cada um dos colaboradores que estiveram presentes no encontro, transmitindo-lhes “uma palavra de esperança e coragem”, para enfrentar novos desafios.

Coimbra foi a primeira cidade a acolher este género de apresentação sobre os CTT.

Pedro Coelho sublinhou “a importância do serviço público” desempenhado pela empresa e a intenção de continuar “a senda do sucesso” que tem marcado a actividade dos Correios de Portugal desde que foram criados.

Durante a tarde, idêntica sessão vai realizar-se em Santarém, prosseguindo esta iniciativa com outros encontros em dez locais de Portugal, incluindo as regiões autónomas.

in Campeão das Províncias, 18 Fevereiro 2011
http://campeaoprovincias.com/pt/index.php?option=com_content&view=article&id=9140:administrador-dos-ctt-releva-importancia-do-servico-publico&catid=14:actualidade&Itemid=130


Trabalhadores da distribuição postal de Taveiro marcaram plenário para quinta-feira

Os trabalhadores do centro de distribuição postal de Taveiro , que se queixam de problemas nas instalações laborais , marcaram hoje um plenário para quinta-feira, em que poderão agendar uma greve , revelou fonte sindical.

Segundo Henrique Santos, dirigente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT), a decisão de marcar um novo encontro foi tomada em plenário realizado hoje.

Os principais problemas que afetam as instalações daquele serviço, integrado no centro de tratamento de correspondência de Coimbra dos CTT, são a falta de climatização e o mau cheiro dos balneários, adiantou o coordenador da secção da Beira Litoral do SNTCT.

De acordo com Henrique Santos, naquele serviço, a funcionar “desde setembro/outubro” numas antigas oficinas, trabalham cerca de 26 pessoas, maioritariamente carteiros. Antes, laboravam num outro piso daquele edifício dos CTT situado no centro de empresas de Taveiro.

“Foram resolvidas algumas questões menores, como a calafetagem dos portões”, disse o dirigente sindical à Agência Lusa, frisando que “os problemas maiores continuam por resolver”.

Segundo o coordenador regional do SNTCT, o local “é gélido no inverno” e prevê-se que seja “muito quente no verão” e devia ter sido reestruturado para acolher os trabalhadores.

Tinha sido dado o prazo até final de fevereiro para a administração resolver o problema e chegou a estar marcada uma greve, entretanto cancelada para dar mais tempo para solucionar a situação, adiantou.

No plenário de quinta-feira os trabalhadores voltam a analisar a hipótese de marcar uma paralisação, dependendo a decisão da “resposta da administração” dos CTT, disse ainda o dirigente.

Uma fonte oficial dos CTT respondeu à Agência Lusa, através de correio eletrónico, que “o problema das casas de banho foi resolvido através da reparação do ventilador” que faz a extração dos cheiros.

“Os CTT estão atentos ao conforto dos seus trabalhadores. Já tomámos medidas no inverno, mediante a utilização de aquecimentos a gás, e tomaremos medidas no verão, se e quando se justificarem”, adiantou.

in As Beiras, 2011/03/18
http://www.asbeiras.pt/2011/03/trabalhadores-da-distribuicao-postal-de-taveiro-marcaram-plenario-para-quinta-feira/


Secção Filatélica da AAC faz 46 anos

in Diário de Coimbra, 2011/02/18


Secção Filatélica da AAC faz 46 anos

in Diário de Coimbra, 2011/02/17


Agenda - Inscrições para aniversário da Filatélica

recorte

in Diário as Beiras, 2011/02/15


Secção Filatélica da AAC
Europa em selos chega à Madeira

Terça, 25 de Janeiro de 2011
por Maria Garrido

Entre 24 de janeiro e 14 de fevereiro, a Galeria de Arte Francisco Franco, no Funchal, acolhe uma exposição de selos sobre Portugal e a Europa. A exposição, a cargo da Secção Filatélica da Associação Académica de Coimbra (AAC), alarga-se assim até à Madeira

A exposição está a circular pelo país desde março de 2010 Foto por D.R.

“Portugal e a Europa - uma história contada através dos Selos Portugueses” é o nome da exposição organizada pela Secção Filatélica da Associação Académica de Coimbra (AAC), que se alarga agora à Região Autónoma da Madeira (RA Madeira).

De 24 de janeiro a 14 de fevereiro, e a pedido da Região de Alberto João, a exposição será acolhida na Galeria de Arte Francisco Franco, no Funchal, onde, segundo Nuno Cardoso, membro da Secção Filatélica, uma coletânea de “selos, carimbos comemorativos, postais máximos e envelopes de primeiro dia” será apresentada ao público.

Além da exposição, Nuno Cardoso lembra ainda a existência de uma palestra sobre selos, a qual será dada por Isabel Valente, presidente da Secção.

A iniciativa conta ainda com o apoio da Escola Secundária Francisco Franco , da Direção Regional de Educação da RA Madeira e do CEIS20 - Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra.

A exposição itinerante já esteve em várias escolas do país. Até agora a adesão “nas escolas é muito engraçada entre os miúdos”, comenta Nuno Cardoso.

in A Cabra.net, 2011/01/25
http://acabra.net/artigos/europa-em-selos-chega-madeira
ver print screen e página principal


“Porto de Abrigo” para alunos da AAC

Uma rapariga , estudante, interessada em cultura e associativismo , foi a primeira “ utente ” do novo gabinete de apoio ao estudante ( GAPE ). Queria saber informações sobre as secções culturais da Associação Académica de Coimbra ( AAC ), disse ao DIÁRIO AS BEIRAS Sara Correia, responsável pela nova estrutura.

Para já, o gabinete vai funcionar no rés-do-chão da sede da AAC, a meias com o espaço das saídas profissionais. Vai estar aberto, todas as tardes, das 14H00 às 19H00.

Por enquanto, o atendimento vai ser feito por estudantes. Para prestar informações de toda a natureza e esclarecer dúvidas, mas também para reencaminhar para serviços específicos (como a linha SOS Estudante, por exemplo) e auxiliar em dificuldades com que os estudantes se deparem.

No futuro, diz Sara Correia, a ideia é que especialistas de associações com que a DG-AAC tem protocolos possam receber e aconselhar os estudantes com problemas do foro psicológico, no GAPE.

Segundo Sara Correia, a AAC, através do pelouro de apoio ao estudante, recebe todos os dias “muitos pedidos de apoio”, que revelam problemas múltiplos dos estudantes, “desde as prescrições a questões pessoais ou familiares”.

Também ontem foi apresentada a campanha de divulgação das secções culturais da AAC. De acordo com Diana Taveira, a iniciativa visa dar a conhecer o trabalho e o âmbito dos 16 espaços de promoção e de vivências culturais, primeiro em todos os pólos universitários e, depois, junto dos próprios estudantes, com a colaboração dos núcleos e dos responsáveis das próprias secções.

Cinema, Informática, Ecologia, Rádio, Astronomia, Defesa dos Direitos Humanos, Divulgação das Culturas Lusófonas, Escrita e Leitura, Ioga, Fado, Filatelia, Fotografia, Gastronomia, Jornalismo e Televisão, a par da linha telefónica de apoio psicológico SOS Estudante, são as áreas em que os estudantes são convidados a envolverem-se.

in As Beiras, 2011/01/18
http://www.asbeiras.pt/2011/01/porto-de-abrigo-para-alunos-da-aac/

 


Divulgação das secções culturais da AAC pretende chegar a todo o país

Segunda, 17 de Janeiro de 2011

por Maria Garrido

A campanha de divulgação das secções culturais da AAC foi apresentada hoje, 17 de janeiro. A nova faixa de promoção das 16 secções esteve exposta

Img_4095

O novo cartaz para a divulgação das 16 secções culturais da AAC foi apresentado Foto por Guilherme Soares

 

A principal bandeira cultural do mandato da atual direção-geral da Associação Académica de Coimbra (DG/AAC) foi apresentada hoje, 17 de janeiro. A campanha de divulgação das secções culturais da AAC é promovida pelo Conselho Cultural. Em conferência de imprensa, nas cantinas Amarelas, esteve exposta a nova faixa de promoção das 16 secções culturais.

Quanto à divulgação, Diana Taveira, coordenadora geral do pelouro da Cultura da AAC, explicou que, inicialmente, vai ser exposta a lona nas cantinas amarelas, seguindo-se o Pólo I, com a ajuda dos núcleos e das próprias secções. Depois, vão ser distribuídos flyers e cartazes pelos restantes pólos e faculdades.

Quando questionada sobre a possível falta de adesão nas faculdades, Diana Taveira concordou que poderia ter a ver com a distância ou a falta de interesse comum.

António Arnaut, coordenador da Comissão Executiva do Conselho Cultural da AAC, realçou que o objetivo desta iniciativa é "levar a cultura não só a todos os colegas e a toda a cidade de Coimbra e Região Centro, como também ao resto do país".

Considerando a Académica como "a maior e mais antiga associação do país a nível cultural", Arnaut entende a responsabilidade que tem, pretendendo, desta forma, atribuir mais valor e relevância aos saberes. “As pessoas que lá estão [nas secções culturais], estão por amor e é preciso mostrar isso aos nossos colegas", enfatiza Arnaut.

O presidente da DG/AAC, Miguel Portugal, indicou a necessidade desta divulgação para que os estudantes da Universidade de Coimbra (UC) possam tomar conhecimento da oferta cultural, de modo a que tenham a possibilidade de ter uma formação complementar e que "consigam ganhar competências que não conseguem ser adquiridas dentro da sala de aula".

O dirigente relembrou a recente aprovação do regulamento para estudantes "integrados em atividades culturais da UC e da AAC", pois "é algo que vai fazer com que os estudantes se aproximem das secções". Segundo Miguel Portugal, o regulamento em conjunto com a divulgação será o caminho certo no sentido de fazer com que haja uma maior participação dos estudantes nas atividades culturais.

 

In A Cabra.net, 2011/01/18
http://www.acabra.net/artigos/divulgao-das-seces-culturais-da-aac-pretende-chegar-a-todo-o-pas

 


AAC divulga secções culturais

in Diário de Coimbra, 2011/01/18
ver recorte



Página Principal | Atividades | Links

Copyright © 1999-2017 J. Cura, Secção Filatélica da AAC - Portugal
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

[Voltar]
Última atualização: 22/01/2015