Gregório de Matos

(1636 - 1695) Escritor / Poeta

Gregório de Matos e Guerra foi um poeta brasileiro que viveu no séc. XVII.
Com uma obra extensa, mas nenhuma publicada em vida, estando dispersa em variadíssimos manuscritos, sendo só publicada no século XIX e XX.
Nascido na Baía em 1636, aí estudou no Colégio dos Jesuítas. Em 1652 matriculou-se na Universidade de Coimbra, onde se formou em Cânones. Parece que não gostou muito sua passagem pela cidade desse tempo como se depreende dos versos “Adeus, Coimbra inimiga”.
Desempenhou vários cargos em Portugal, tal como Juiz de Fora em Alcácer do Sal, Juiz do Cível em Lisboa e Procurador da Bahia nas Cortes.
Com muitos poemas satíricos e alguns com carácter erótico, mas também poesia lírica , granja algumas inimizades entre a Igreja e não só, tanto em Portugal como no Brasil, para onde volta em 1682. Com ameaças sérias à sua vida, é deportado para Angola em 1692, pelo Governador da Bahia, voltando 3 anos depois para o Recife, onde viria a falecer pouco tempo depois.
Sendo um poeta de inesgotável fonte satírica não poupava ninguém nas suas críticas mordazes, tendo ganho o nome de “O Boca do Inferno”.
Os Correios do Brasil editaram um selo de homenagem ao poeta, a 29 de outubro de 1986, com o título “350 anos do nascimento de Gregório de Mattos e Guerra”, com valor facial de 0,50 cruzados.

José Cura, junho de 2012

 

 

 

A vida do Estudante em Coimbra

Mancebo sem dinheiro, bom barrete,
Medíocre vestido, bom sapato
Meias velhas, calção de esfola-gato,
Cabelo bem penteado, bom topete;

Presumir de dançar, cantar falsete,
Jogo de fidalguia bom barato,
Tirar falsídia ao moço do seu trato,
Furtar à ama a carne que promete;

A putinha aldeã achada em feira,
Eterno murmurar de alheias famas,
Soneto infame, sátira elegante;

Cartinhas de trocado para a Freira,
Comer boi, ser Quixote com as damas,
Pouco estudo: isto é ser estudante.

 

Adeus, Coimbra inimiga

Adeus, Coimbra inimiga
Dos mais honrados madrasta
Que eu me vou para outras terras
Onde viva mais à larga!

Adeus, prolixas escolas,
Com reitor, meirinho e guarda,
Lentes, bedéis, secretários,
Que tudo, sommado, é nada!

 

Página Principal | Atividades | Links

Copyright © 1999-2017 J. Cura, Secção Filatélica da AAC - Portugal
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

[Voltar]
Última atualização: 15/03/2014