D. Afonso II

(O Gordo)

 

selo

 

Nasceu em Coimbra no ano de 1185. Filho de D. Sancho I e D. Dulce de Aragão. Casou com a filha de Afonso VII de Castela D. Urraca. Subiu ao trono no ano de 1211, tendo reunido logo de seguida as Cortes (refira-se que estas são as primeiras cortes portuguesas de existência comprovada), com vista à reorganização da administração pública. Neste contexto, pode-se afirmar que durante o reinado de D .Afonso II esta reorganização foi sempre o ponto primordial, deixando assim de comandar as tropas. Contudo, a nÍvel militar, foi neste periódo que se reconquistou Alcácer do Sal, tendo também o seu exército participado na Batalha de Navas de Tolosa contra os Mouros. D. Afonso II foi um rei legislador, assistindo-se também à luta entre a realeza e as classes privilegiadas, podendo-se apontar a este alguns atropelos aos direitos universais até então consagrados. D Afonso II morreu no dia 25 de Março do ano de 1223 em Coimbra, deixando como herdeiro do trono o seu filho D. Sancho II.


8 Séculos da Língua Portuguesa

Celebrar a língua portuguesa nas suas mais diversas vertentes e geografias constitui o objectivo primeiro das Comemorações dos 8 Séculos da Língua Portuguesa que decorrem entre 5 de maio de 2014 e 10 de junho de 2015.  
A língua portuguesa emergiu do latim falado no noroeste da Península Ibérica por volta do séc. VI, então ainda pouco diferenciada do galego, expandindo-se no ocidente peninsular para sul. Contém na sua tessitura contributos de outras línguas. Quanto às origens da língua escrita, embora remontem ao séc. XII, foi o Rei D. Dinis quem chancelou o seu uso, a partir de 1297, nos documentos oficiais.  
De entre os mais antigos documentos escritos em português, avulta o Testamento de D. Afonso II, lavrado em 27 de junho de 1214, que perfaz 800 anos, e que elegemos como referencial para estas Comemorações. Sendo a língua portuguesa uma língua antiga que se espraia por três oceanos e habita quatro continentes, falada por mais de duzentos milhões de pessoas, tal facto representa um potencial político, económico e cultural que apela ao empenho das comunidades falantes para uma afirmação, cada vez maior, do seu lugar no mundo. Neste contexto, assinalamos os oito séculos dos seus documentos escritos mais antigos, como pretexto para promover as Comemorações que se anunciam. Realçam o valor de um património comum e imaterial de que tanto nos orgulhamos, língua oficial partilhada por oito países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste, e Macau. O dia 5 de maio, Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP, abre as Comemorações.  
Esta data representa um convite dirigido aos países de língua oficial portuguesa, Macau e diásporas, para as mais amplas comemorações, celebrando a língua que todos partilhamos. Encerrar-se-ão a 10 de junho de 2015, o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, homenageando a literatura através de um dos maiores expoentes da Língua Portuguesa, Luís de Camões.  
O universo de expressão portuguesa recebe também o indelével contributo de diversas culturas, o que o enriquece. Conflui, ainda, para os oito países de que é língua oficial e Macau, um outro elemento agregador, o Mar, que é mundo «maré de lembranças de tantas voltas que o mundo dá» que nos interpela na voz de Maria Bethânia, de onde vislumbramos a Ilha de Próspero de Rui Knopfli, com os «caminhos sempre abertos para o mar», sobre o qual «voam asas brancas ansiosas e saudosas na distância», de Namibiano Ferreira, este «mar eterno sem fundo e sem fim» de Eugénio Tavares, o de Fernando Sylvan que «sem saber se tinha voz o mar, ouvia a sua voz», de Olinda Beja que nos sussurra que «o mar chama por nós, somos ilhéus!», de Baticã Ferreira que, num espanto iniciático, nos diz «Olhai: o Mar tem influência singular sobre mim!». E, num claro apelo ao desafio que nos move a todos em busca de caminhos onde nos encontramos em português, Sophia de Mello Breyner Andresen, de forma singular, traz-nos à lembrança que metade da nossa alma é feita de maresia!
Na cadência destes mares que nos embalam e nos fazem chegar os ecos e a riqueza de múltiplos sotaques e culturas, ousamos dizer, no ano das Comemorações dos 8 Séculos da Língua Portuguesa, glosando Pessoa, que esta língua que amamos «é o som presente d'esse mar futuro»!
Maria José Maya
Presidente da Direção
8 Séculos de Língua Portuguesa – Associação


Dados Técnicos

Emissão  - 2014 / 05 / 05
Selo   € 0,80 - 115 000
Bloco com 1 selo  
€ 2,50 - 40 000
Design: AF Atelier
Créditos
Bloco  
Testamento de D. Afonso II
Last will of king Afonso II
Imagem cedida pelo ANTT
Papel - FSC 110 g./m2
Formato  
selo  - 40 x 30,6 mm
bloco  - 125 x 95 mm
Picotagem: Cruz de Cristo  13 x 13
Impressão  - offset
Impressor  - INCM
Folhas  - Com 50 ex.  
Sobrescritos de 1.º dia / FDC
C5 – €0,75
C6 – €0,56
Pagela / - €0,70

ver Pagela

 

Figuras > Reis > D. Afonso II