Aristides de Sousa Mendes

Aristides de Sousa Mendes nascido em Cabanas de Viriato (Carregal do Sal) em 19 de julho de 1885 foi um famoso diplomata conhecido e reconhecido pelo seu apoio a refugiados judeus durante a 2ª Guerra Mundial.

Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra, antes de 1907, tal como o seu irmão gémeo César, ocupou várias posições diplomáticas, como por exemplo, no Brasil, nos Estados Unidos ou na Bélgica. Em 1938 foi nomeado cônsul em Bordéus, no sul de França, por Oliveira Salazar, presidente do Conselho de Ministros (equivalente ao cargo atual de primeiro-ministro) e ministro dos negócios estrangeiros.

Depois do início da 2ª Guerra Mundial, e apesar das ordens expressas por Salazar que manteve o país neutral durante a guerra, Aristides concedeu milhares de vistos a judeus que afloravam a Bordéus fugindo das invasões nazis. Depois de muitas insistências para que parasse esse comportamento, Salazar destituiu Sousa Mendes do cargo consular em 1940, depois de mais de 30000 vistos concedidos a judeus e outras minorias perseguidas pelos nazis.

Pai de 14 filhos, Aristides faleceu na penúria, em Lisboa a 3 de abril de 1954.

Só muito mais tarde foi reconhecido pelo seu trabalho e dedicação extrema tanto em Portugal como no estrangeiro.

Os CTT – Correios de Portugal emitiu em 5 de maio de 1995 um selo com a sua figura e assinatura bem como a frase "a sua assinatura salvou milhares", com o valor de 95$00, nas suas habituais emissões “Europa”. As emissões “Europa”, surgiram em 1952, como objetivo de congregar os interesses e laços que uniam alguns países europeus (unidos através da Conferência Europeia de Correios e Telecomunicações - CEPT). A comunidade foi crescendo, dos 6 países iniciais, para as quase 5 dezenas atuais. Portugal emitiu a sua 1ª série “Europa” em 1960.

Essa emissão, uma alegoria à Liberdade, cujo representante é Aristides e outra à Paz, no outro selo da série, com a Madeira como abrigo para cidadãos de Gibraltar, também com taxa de 95$00. O 1º selo mostra então a entrada do Porto de Lisboa, como símbolo da Liberdade, bem como um desenho do diplomata. Com design de Luiz Duran e Carlos Leitão, ambos os selos tiveram uma tiragem 500 mil selos, tendo sido impressos em off-set na Imprensa Nacional-Casa da Moeda sobre papel esmalte. Estes selos têm a particularidade de terem medidas pouco usuais nos selos: 8 x 3 cm.

José Cura, junho de 2012


18-06-1999, Homenagem ao Cônsul Aristides de Sousa Mendes, Viseu , nº cat. 3296