Álvaro de Castro

Álvaro Xavier de Castro (Guarda; 9 de Novembro de 1878 - Coimbra; 29 de Junho de 1928) foi um político português da I República.

Fez parte da Junta Constitucional que governou o País após o derrube do governo de ditadura do general Pimenta de Castro, em 1915.

Após isso, exerceu as de Governador-geral de Moçambique entre 1915 e 1918.

Participou na sublevação antisidonista de Santarém de 11 de Janeiro de 1919 (ao lado de figuras históricas da República como Machado Santos), destinada a restaurar a pureza dos ideais da República proclamada em 5 de Outubro de 1910 e a restabelecer a Constituição de 1911 tal como fora aprovada (já que havia sido alterada durante o «consulado sidonista»); isto passava pela imediata queda do governo chefiado por Tamagnini de Sousa Barbosa e pela destituição do presidente Canto e Castro, considerado continuador das políticas sidonistas. No dia seguinte o primeiro-ministro ordenou o cerco dos revoltosos em Santarém, que acabaram por se render, sendo o o movimento sufocado.

Mais tarde, ajudou a fundar e viria a liderar o Partido Republicano da Reconstituição Nacional (ou Partido Reconstituinte, uma dissidência do Partido Liberal Republicano, resultante da aglutinação dos Partidos Republicano Evolucionista e do Unionista). Nessa condição deu o seu apoio ao primeiro governo do liberal António Granjo, de coligação, em 1920; contudo, viria a retirar-lhe o apoio e ele mesmo foi designado Primeiro-ministro de Portugal, durante a I República, durante um curto lapso de tempo - de 20 de Novembro a 30 de Novembro de 1920 -, após o que foi substituído pelo tenente-coronel da G.N.R. Liberato Pinto.

Entretanto, acentuava-se a crise política em Portugal pelo que os partidos de direita (os Liberais - agora sem o seu carismático líder António Granjo, assassinado na Noite Sangrenta -, os Reconstituintes de Álvaro de Castro, e os antigos sidonistas reconvertidos em Partido Nacional Republicano) uniram-se para fazer face à hegemonia do Partido Democrático, criando um novo partido, o Partido Republicano Nacionalista, do qual Álvaro de Castro viria a ser uma das proeminentes figuras. Nessa circunstância viria a ser uma segunda vez designado primeiro-ministro de Portugal, entre 18 de Dezembro de 1923 a 6 de Julho de 1924.

imagens/selo_pt_1980_republicanos_alvaro_castro.jpg


Página Principal | Atividades | Links

Copyright © 1999-2017 J. Cura, Secção Filatélica da AAC - Portugal
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

[Voltar]
Última atualização: 09/04/2011