Almada Negreiros

Nascido em 1893, José de Almada Negreiros foi um dos mais importantes artistas portugueses do século XX. A sua actividade foi vasta no campo da pintura, desenho, poesia, teatro, romance e ensaio.

Almada Negreiros foi também um grande desenhador de selos portugueses. Entre as emissões desenhadas por si encontram-se as emissões comemorativas: ”1 ª exposição Colonial Portuguesa” (1934), “1ª Exposição Filatélica Portuguesa” (1935), “Exposição de Bruxelas“ (1958) e “Ano Mundial do Refugiado” (1960),

Desenhou ainda a série de Correio aéreo do Tipo “Hélice” (1936/41), a emissão de Encomendas Postais de 1939, a série básica “Tudo pela Nação” (1935/41) e as séries das várias colónias: “Nossa Senhora de Fátima ” (1948) e “75º Aniversário da União Postal Universal” (1949).

Retratando o autor em si, temos a emissão de 2005, “Caricaturistas Portugueses” (caricatura de João Abel Manta) e a emissão comemorativa do “Centenário do Nascimento de Almada Negreiros” de 1993, com o seu auto-retrato no selo de 40$00.

Por sua vez, algumas das suas obras foram reproduzidas, a saber, na emissão “Europa” de 1975, com o quadro “Fernando Pessoa”, retratando o famoso poeta português, na emissão “Pintura Portuguesa do séc. XX” (1988) com a obra “Saltimbancos no Cais” de 1949 e nos “200 Anos dos Tribunais de Contas na Europa” (2007), correspondendo a um óleo de Almada Negreiros, que ilustra o selo de 61 cêntimos, sobre a criação do Tribunal de Contas por D. Maria II , em 1849 (onde o Duque de Ávila e Bolama recebe de D. Maria II o decreto da criação do Tribunal de Contas) e o bloco da mesma emissão com a gravura “O Contador”, existente no Tribunal de Contas. Nesse mesmo edifício existe também uma interessante peça de tapeçaria do artista, de título “O Número”. Em 1993, também na emissão do “Centenário do Nascimento de Almada Negreiros”, o selo de 65$00 retrata um dos seus painéis existentes na Gare Marítima de Alcântara, com o título “Quem não viu Lisboa não viu coisa boa". Na emissão “Centenário do Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado”, em 2011, o selo de 0,47€ retrata um pormenor da obra “A sesta”. No selo comemorativo dos 100 anos da Universidade de Lisboa, também de 2011, da emissão “Centenário das Instituições de Ensino Superior”, é mostrado um desenho incisivo de Almada, retratando 3 estudantes, e existente na frontaria da Faculdade de Letras dessa Universidade.

A 18 de Abril de 2011 foi colocado em circulação um inteiro postal comemorativo do 75.º aniversário dos "Amigos de Lisboa". O postal mostra o logotipo da associação no lado esquerdo, desenhado por Almada Negreiros que foi um dos seus sócios fundadores.

Além dessa peça, existem ainda 2 carimbos comemorativos, um de 20/07/1984 da exposição realizada no Centro de Arte Moderna, em Lisboa, dedicada a Almada e outro de 6/6/1993 por ocasião do 15º aniversário da Associação Portuguesa de Maximafilia, com o seu auto-retrato.

Almada teve uma breve passagem por Coimbra, na sua juventude, em 1910, depois da extinção do Colégio jesuíta onde estudava na capital, passando para o Liceu de Coimbra, mas voltando no ano seguinte para Lisboa.

Foi ainda colaborador da revista Presença, folha de Arte e Crítica, editada em Coimbra, tendo sido um seu desenho inclusivamente sido capa do nº 5 de 4 de junho de 1927. Esse desenho retrata uma criança dormitando com boneca ao lado, com dedicatória a Carlos Queiroz. Ainda é sua a capa da mesma revista de abril de 1933, com o desenho “Esperança”. Fez ainda um desenho de Fernando Pessoa num número especial dedicado ao poeta da mesma revista em julho de 1936.

Almada proferiu uma conferência no Salão Nobre da AAC, a convite da revista Presença, em 1932, com o título “Direcção Única”

Depois de várias polémicas, e descontente com o conservadorismo da época, viveu alguns anos em Espanha, mas regressado, foi reconhecido e aclamado pela crítica.

José de Almada Negreiros faleceu em Lisboa, em 1970.

 

Artigo originalmente publicado no livro: “As Cores da Matemática segundo Almada Negreiros, Arte e Política na Universidade de Coimbra”, de Marco Daniel Duarte , editado pela SFAAC em Abril de 2009.

Revisto e aumentado

José Cura, novembro de 2012

 

Ver também: As Cores da Matemática segundo Almada Negreiros, Arte e Política na Universidade de Coimbra, de Marco Daniel Duarte


Postal Máximo. Fonte: http://cavacosdascaldas.blogspot.pt/2013/02/escritores-em-portugueses-selos.html

Figuras > Almada Negreiros

Página Principal | Atividades | Links

Copyright © 1999-2017 J. Cura, Secção Filatélica da AAC - Portugal
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

[Voltar]
Última atualização: 18/10/2014